Sofia Batalha, a autora

Coleção Casa Simbólica

Uma Casa Feliz

Curso Feng Shui Lunar

Características da Casa da Feiticeira
  • Arquétipo de Sombra – Relaciona-se com o mundo interno, com um momento mais introspetivo e profundo.

  • Mulher que dá estrutura ao mundo — procura estabilidade e estrutura, através do serviço, mas também da inovação ou do controlo.

  • A casa é – Uma casa de Celebração.

  • O tema desta casa é – a criatividade, a descendência, os projectos, a colheita e a armazenagem, o retorno e a reorientação.

  • Deusa associada – Perséfone Kore

  • Cristal – Hematite.

  • Ponto cardeal – Oeste.

Arquétipo da Feiticeira

Em termos de fase de vida de uma mulher, este arquétipo da Feiticeira alinha-se vivencialmente com a perimenopausa. Quando a menstruação começa a falhar e se iniciam os primeiros vislumbres de realidades não físicas ou materiais.

Numa fase introspectiva, em que somos puxadas para dentro para reflectir sobre o nosso lugar e progresso no mundo, precisamos de estar sozinhas e podemos ser intolerantes às exigências de terceiros. Sonhamos mais, precisamos de mais tempo de quietude, ficamos mais intuitivas e podemos sentir o pico da nossa sexualidade.

Nesta fase, o véu entre o físico e o espiritual torna-se mais transparente.

Este arquétipo é bem mais leve que a Xamã, sendo também mais livre. Pelas suas tomadas de consciência sobre quem verdadeiramente é, tem uma segurança que a Xamã não alcança ainda.

Ainda que tenda a viver sozinha, a Feiticeira sabe celebrar, rir e brincar com amigos, viajando, visitando exposições ou indo a concertos. Inevitavelmente, aloca tempo para a celebração da vida e das suas conquistas, de forma criativa engendra novas formas de futuro. Mesmo que incertas, as mudanças são mais rápidas.

 

A casa da Feiticeira — Celebrar em casa

A casa da Feiticeira é uma casa antes cheia de família, mas onde os filhos cresceram e saíram. Ela começa de novo a pensar em si própria em primeiro lugar, depois de muitos anos dedicada a outros projectos. Volta, retorna à sua verdade e muda a casa. Adequa-a à sua nova realidade, libertando-a e transformando-a de forma criativa.

É uma casa que recebe visitas, não todos os dias, mas de vez em quando. Um espaço mais iluminado e amplo que permite o movimento, promove a comunicação e, ao mesmo tempo, a intropecção.

É uma casa com lembranças do passado, mas sem ser pesada, estas não condicionam o espaço. Os quartos dos filhos que saíram são renovados e não ficam estagnados no tempo. A casa é fluida e adequa-se à nova fase.

 

Texto adaptado do livro, Uma Casa Feliz, de Sofia Batalha