Sofia Batalha, a autora

Coleção Casa Simbólica

Uma Casa Feliz

Curso Feng Shui Lunar

Características da Casa da Virgem
  • Arquétipo de Luz – Relaciona-se com o mundo externo, com uma fase mais expressiva e de exteriorização, procurar o seu lugar e serviço ao mundo.

  • Mulher que procura o paraíso – Procuram independência e liberdade, através de aprendizagem, segurança ou compreensão.

  • A casa é – quarto na casa dos pais.

  • O tema desta casa é – Os antepassados, a família e a comunidade.

  • Deusa associada – Artémis, Perséfone.

  • Cristal – Aventurina Verde.

  • Ponto cardeal – Este.

Arquétipo da Virgem

Ela é dinâmica, audaz, completa em si própria e aventureira. É confiante e inocente ao mesmo tempo. O termo virgem neste contexto tem o significado ancestral de uma mulher que é fértil, sexual e completa em si própria.

É um arquétipo enérgico, confiante, que começa a abrir-se ao exterior. Um tempo comunicativo e social, onde os novos inícios e os novos projectos no mundo físico estão na ordem do dia. Há uma energia nova e uma vontade de participar no mundo de uma forma independente e assertiva.

É tempo de experienciar, mas com o desejo de cooperar e interagir com o mundo. Este arquétipo deve vencer a sua timidez aprendendo a melhor forma de se sentir livre.

Pessoas com este arquétipo são genericamente confiantes, mas algo inocentes ao lidar com o exterior. São pessoas que querem muito cumprir o seu propósito, mas estão ainda a viver em função da família. Podem viver com os pais, voltando a habitar o seu quarto de adolescente.

 

A casa da Virgem — O quarto

A casa da virgem é uma divisão da casa dos pais. É o seu quarto de adolescente, numa vivência ainda imatura e sem responsabilidade. Aliás, este é o desafio da Virgem na casa, pois, apesar da sua preparação e vontade, a responsabilidade é-lhe retirada. Ao habitar o espaço dos pais, pode não haver espaço de decisão, de negociação sobre como e onde se colocam os móveis ou objectos. A gestão da casa não está por sua conta e isso causa-lhe frustração, pois ela sente-se preparada e consciente para o fazer.

Os móveis são os da sua infância e o que está guardado na casa não lhe diz grande coisa. Pode sentir uma necessidade de sair e tornar-se realmente autónoma. Pode sentir a casa como sufocante, pequena e sem opções. Mudar pode ser o melhor caminho.

 

Texto adaptado do livro, Uma Casa Feliz, de Sofia Batalha