Pessoas diferentes ocupam espaços emocionais distintos num mesmo espaço físico.
A forma como vivemos os espaços é ditada pela forma como vivemos a vida.

As nossas opções e caminho de vida são demonstradas de enumeras maneiras: no próprio corpo (através da saúde ou doença, das doenças recorrentes, doenças auto-imunes), na forma como nos expressamos verbalmente, nos nossos sonhos, na intuição, nas crenças e claro na nossa casa.

As nossas casas fazem parte do nosso corpo físico, são as nossas fronteiras mais externas, como tal estão intrinsecamente ligadas aos nossos pensamentos e emoções.
A nossa casa reflete sempre quem nós somos, e não só o nosso lado racional de quem “pensamos que somos”, mas todo o outro lado escondido e indomável das emoções e sentimentos, a forma como sentimos o nosso espaço, como escolhemos utilizar ou não as várias divisões da casa, como optamos por resolver ou não os problemas que esta nos vai apresentando.
Escolhemos as casas conforme os desafios que temos de passar na vida, se não evoluímos numa determinada habitação a seguinte terá as mesmas questões por resolver.

O véu entre o emocional e o físico esbate-se numa análise intuitiva de uma habitação.
Acedemos aos bocados mais internos de nos próprios através do desenho intuitivo da planta, porta para o nosso inconsciente e representação do espaço emocional. Este desenho intuitivo do nosso espaço emocional não conhece tempo, isto é, toda a nossa alma está ai espelhada, sem entraves de passado/presente/futuro.

 

Videos de introdução ao tema:
O que é Feng Shui? | Feng Shui Simbólico? | Uma consulta de Feng Shui Simbólico | Dicas de Feng Shui

 

Para compreender o conceito base desta abordagem pode ter também ler:
Feng Shui, para que serve? | O Exterior | Espaço Físico e Espaço Emocional | Os Ciclos do Tempo | Simbologia Pessoal | Curas | A Intuição e o Corpo | Uma Consulta de Feng Shui

Para uma clarificação dos vários métodos pode ver aqui mais informação.