Estudo feng shui há muitos anos. Comecei por ler livros nos quais havia muitas coisas que não percebia e em cada um encontrava sempre contradições com o anterior.

Ao longo do tempo e com a formação que fui fazendo fui construindo ideias sobre o que é o feng shui e qual é a sua relação com a vida. Na realidade poderia agora dizer que o feng shui é como que uma forma de observar a vida.

Quando comecei a ouvir falar de feng shui achava que feng shui era um conjunto de orientações de decoração e de posicionamento dos objectos em casa. Falava-se de equilíbrio, de harmonia e eu imaginava casas com flores, decoradas com cores pastel nas quais as pessoas viviam uma vida serena e tranquila. Hoje sei que quando se fala de equilíbrio no contexto do feng shui o significado é o mesmo que na vida em geral: umas vezes estamos mais activos outras vezes mais calmos, se escolhemos fazer umas coisas deixamos de lado a possibilidade de fazer outras. O equilíbrio é também como que uma gestão das prioridades da nossa vida. Nem tudo é possível ao mesmo tempo.

Aprendi muitas abordagens diferentes e demorei muito tempo a processá-las, a avaliá-las. Experimentei comigo e com a minha casa, observei os que me rodeiam. Percebi o que tinha mais importância e o que tinha menos. Verifiquei que o feng shui é mágico, tal como a vida é mágica. Senti o espaço, senti a minha relação com ele. Senti que a energia do espaço nos influencia, no sentido em que nos cria oportunidades, em que nos transforma, nos dá mais de algumas características e menos de outras. Observei que nós próprios projectamos as nossas questões internas no espaço e isso pode ser mapeado e interpretado. Aprendi que, até certo ponto, podemos colocar o espaço ao nosso serviço. Percebi que o espaço, e também o tempo, é fundamental para a nossa evolução.

O feng shui é pois uma ferramenta para nos apoiar no nosso caminho, na certeza de que haverá momentos mais fáceis e outros menos. Na certeza também de que não temos que perpetuar padrões, de que podemos tomar consciência das nossas dificuldades para as desbloquear. De que podemos agir para melhorar a nossa relação com os outros.

O feng shui permite-nos conhecer-nos melhor. Conhecer os desafios que se nos colocam em cada momento. Aceitando que em cada momento estamos exactamente onde devemos estar (mesmo que possamos perguntar-nos repetidamente: ‘O que é que eu estou aqui a fazer?’).

Para mim o feng shui é de facto uma ferramenta que se baseia na energia dos espaços para nos ajudar, que tem uma abordagem positiva, construtiva e respeitadora da realidade e da essência de cada um. O feng shui não é de todo um conjunto de regras às quais temos que obedecer e respeitar sob pena de alguma punição. Não temos que ter medo de agir nem na nossa casa nem na nossa vida. A consciência e o desejo de evoluir guiar-nos-ão sempre.

Não de esqueça de ver as novas PROMOÇÕES na LOJA! Ignorar