Sofia Batalha

Colecção da Casa Simbólica 

Curso de Feng Shui

As nossas casas servem para guardar muitas coisas, entre as quais medicamentos. Dependendo da saúde dos ocupantes assim podem haver mais ou menos medicamentos armazenados em casa.
Sabendo que a nossa casa é uma expressão de nós próprios e da nossa vida, uma das questões que mais me colocam é onde e como guardar os remédios e fármacos que precisamos de ter em casa.
Quando trabalhamos o feng shui de forma consciente esta pergunta não tem uma resposta simples. Não existe uma receita que nos diga que os medicamentos devem estar todos em determinado local, numa divisão específica, numa ou outra zona. Para responder esta questão é preciso primeiro explorar o que os medicamentos representam, como os usamos e o que esperamos deles.

Definição de medicamento

Comecemos então pela definição do conceito de medicamento. As palavras medicamento, fármaco ou remédio têm uma sobreposição de significado e a sua definição resumida diz que são substâncias que possuem propriedades curativas ou preventivas de doenças.
Em culturas ancestrais naturalmente que o conceito de medicamento já existia sendo, no entanto, ligado tanto a doenças como castigo divino ou pecados.
A origem da palavra fármaco, que vem do grego pharmak, é relacionada a um veneno, que tanto pode trazer o bem como o mal, manter vida ou causar a morte. Já a raiz da palavra remédio significa também pensar, meditar ou cuidar.

Medicamentos hoje em dia

Hoje em dia vivemos sem dúvida numa sociedade excessivamente medicalizada, para o bem e para mal. Os fármacos que temos presentes da medicina ocidental são substâncias extremamente poderosas que podem agir para cura mas que possuem muitos efeitos colaterais. O paradoxo dos medicamentos numa visão não holística é exactamente o facto de serem substâncias químicas concentradas e fortíssimas que podendo contribuir para a cura, podem também causar outras maleitas. Nunca devemos negligenciar o seu impacto no nosso corpo, mente e espírito, pois ao ajudar à cura de algo pode desequilibrar outra parte.
Ora numa visão do mundo conectada e enraizada, numa visão holística, a noção do que possa equilibrar o nosso corpo, mente e espírito expande-se. Pelo que, é da nossa responsabilidade, a qualidade da alimentação e do meio ambiente que são também fundamentais para a manutenção do equilíbrio da saúde física, mental e emocional.
Já nas civilizações arcaicas se ligam os remédios ao exercício de pensar, meditar e cuidar, muito para além do acto simplista e literal de tomar um comprimido e esperar que a maleita passe.
Por outro lado também as culturas milenares que primeiro categorizaram o feng shui tinham uma visão diferente do conceito de saúde e doença, assim como dos preparados e substâncias activas que manipulavam os humores e o chi individual de cada paciente. Tendo em conta os fundamentos da metafísica chinesa o feng shui é uma uma das cinco artes, todos elas visando o equilíbrio multidimensional do ser humano. Nesta visão a saúde não vem apenas através dos preparados de plantas ou outras substâncias, o equilíbrio saudável é visto como um processo dinâmico, cíclico e produto da interligação de muitos factores, entre eles o contexto espacial.

Guardar medicamentos em casa

De volta ao presente e à nossa cultura ocidental, uma das coisas que guardamos de facto nas nossas casas são remédios. Primeiro é necessário avaliar a quantidade de fármacos que guardamos, pois devemos ter em casa apenas o estritamente necessário, seja medicação diária prescrita ou caixas de primeiros socorros.
Os medicamentos guardados devem estar todos dentro do prazo em boas condições.
Os que são para serem tomados todos os dias devem estar no local de fácil acesso, normalmente no balcão da cozinha.
Mas fora estes não deve haver medicamentos à vista. Os restantes que tenhamos em casa devem estar bem acondicionados na parte debaixo de um armário escuro e seco, idealmente longe do centro da casa. A parte debaixo dos armários simboliza o passado, pelo que é importante que guardemos os medicamentos em baixo de forma a não os projectar para o futuro para que não precisemos deles de forma recorrente. Este armário pode ser na casa de banho desde que não seja uma casa de banho de suite, ou pode ser numa despensa. Idealmente uma zona não muito activa, logo nunca no armário da sala ou à entrada de uma casa.
É de evitar guardar remédios no quarto de dormir, pois é uma divisão extremamente sensível e inconsciente. Não queremos reciclar a nossa energia durante a noite numa divisão cheia de medicamentos pois o nosso foco fica inevitavelmente na doença, tornando-nos mais frágeis.

Em resumo, os fármacos da medicina ocidental tem uma simbologia paradoxal, ligando-se aos processos cura através do foco da doença, pelo que é de evitar termos muitos armazenados em casa. O importante é expandirmos a nossa visão de saúde e do que nos influencia para que passemos a cuidar também da alimentação e do nosso contexto espacial de forma a que nos traga saúde e equilíbrio. É importante olhar para a doença pelo processo cíclico e dinâmico que representa na nossa vida, sempre dentro da perspectiva da construção da saúde.