Sofia Batalha

Colecção da Casa Simbólica 

Curso de Feng Shui

Quando pensamos em empreendedorismo pensamos em dinamismo, em capacidade de encontrar soluções, em resiliência e implementação de novas ideias, em capacidade de correr riscos realizando e concretizando projectos ou negócios.
E como tudo isto se relaciona com Feng Shui? Como é que esta antiga arte milenar pode ajudar o bloquear ou potenciar o meu investimento pessoal numa ideia ou caminho?

A resposta é tudo! Tem tudo a ver, assim como muito potencial para ajudar, seja nos primeiros passos, seja na continuidade da concretização de um projecto, ideia ou negócio.

Comecemos então pelo início.

Primeiro que tudo é preciso clarificar o que é feng shui, e não, não tem nada a ver com decoração ou arrumações (estas são ferramentas de ajuda na clarificação de um espaço). E não também não tem nada a ver com regras cegas e dogmáticas de que se se-colocar-uma-fonte-ali-vai-ficar-tudo-bem-para-sempre.
O feng shui, que quer literalmente dizer vento e água, é uma antiga arte milenar chinesa que pretende procurar e aproveitar o melhor local e a melhor altura para aí se estar, usufruindo da chamada “boa sorte”, por estar no sítio certo na altura certa. É uma ferramenta dinâmica, que não se baseia em receitas, mas numa compreensão multi-camada do nosso contexto de vida, nomeadamente a nossa casa.

Cada casa é um caso!

Segundo a abordagem ocidental desta arte, as nossas casas representam-nos, expressam quem somos, na sua estrutura e conteúdo. Estão, por isso, repletas de informação sobre as nossas potencialidades, os nosso talentos, mas também os nossos desafios, receios e bloqueios.
Cada casa é um caso, cada casa tem a sua própria história e personalidade que vai interagir com a singularidade de cada habitante, por isso não há soluções genéricas que sirvam para todos. Há sempre soluções individuais e personalizadas que se ajustam às verdadeiras necessidades de cada habitante.
Ora se soubermos ler a linguagem da casa, interpretar os seus sinais, e nos disponibilizarmos a compreender conscientemente o que nela expressamos, temos aí uma ferramenta poderosíssima de acção na vida, pois quando agimos na casa, agimos e modificamos o tecido da nossa realidade.

Para alguém que se queira aventurar no seu seu próprio negócio, ou concretizar um sonho ou paixão antigos (ou ambos) a informação que a casa detém sobre nós é muitíssimo valiosa, pois permite-nos trabalhar as nossas fragilidades, empoderando os talentos e potencialidades, desbloqueando cristalizações e acelerando processos.
Mas há um senão. O feng shui, ou viver a casa (e a vida) conscientemente, não é um interruptor ou comprimido, é um processo que exige responsabilidade pessoal e dedicação. Exige estarmos presentes, focados e atentos. Disponíveis e fluídos. Tal como quando desejamos ser empreenderores no nosso próprio negócio.

Como já foi referido anteriormente não há soluções universais. Enquanto praticante desta arte desde 2004 não me revejo em artigos de dicas ou de sugestões simplistas, que muitas vezes induzem em erro, metem medo e nunca têm em consideração a especificidade de cada casa nem de cada habitante. Não vos dou dicas mas dou-vos algumas sugestões de observação do vosso espaço de trabalho em casa, pois muitas vezes é costume trabalhar-se em casa seja de forma definitiva ou transitória.

Sugestões de observação na casa.

Se precisam de empreender do vosso foco e atenção num novo projecto é importante encontrar o espaço certo em casa para o fazer. Esse espaço deve ser privado para que a vossa atenção não se disperse. Experimentem vários locais e sintam onde estão mais confortáveis, mais focados e presentes na tarefa que desejam empreender.
O que se vê da secretária ou mesa de trabalho é importante pois representa o futuro do que estão ali a construir. Se for uma parede, decorem-na com simbologia do que pretendem para o vosso futuro (quanto mais precisa melhor), se for uma janela pode ser bom ou mau dependendo da vista que lá se encontre.
É importante estar bem sentado com um óptimo apoio de costas, protegido e amparado. Idealmente atrás das costas deve estar uma parede sem mais nada.
Evitem ter armários por cima da cabeça ou espelhos que vos reflictam enquanto trabalham, ambos podem causar dispersão e uma sensação pesada que as coisas não avançam, com preocupações excessivas.
Evitar que a secretária ou mesa de trabalho esteja demasiado cheia também nos ajuda a hierarquizar as listas de coisas por fazer, calendarizando as várias fases do projecto.

Estas são apenas algumas noções. Mas a casa diz-nos muito mais. Por exemplo os projectos podem ter dificuldades em serem concretizados, com processos exasperadamente lentos em casas com entupimentos ou portas rígidas, que rangem e custam a abrir.
Noutro exemplo, as decisões podem ser desafiantes se as portas não fecharem ou perdermos muitas vezes as chaves de casa.

Quando quiserem empreender a vossa energia, foco, experiência e sabedoria em algo novo nunca fechem a porta ao poder e ajuda que a vossa casa vos poderá dar durante o processo!

Boas observações, boas mudanças e concretizações!