Ana Brísio é professora no Curso de Feng Shui Lunar!

Empatia, sabedoria, compaixão e alegria!

Ana Brísio | https://www.facebook.com/ana.brisio

O que te fez interessar por Feng Shui?
Muito honestamente, foi um processo altamente intuitivo.  Já lá vão uns anos mas ainda hoje quando penso nisso o meu coração fica cheio. Estava desempregada e procurava uma alternativa de vida que me satisfizesse pois decidira deixar de trabalhar em contabilidade. Um dia, “perdida” nos meus pensamentos, “o que vou fazer?” O que posso fazer?” … de repente surgiu-me FENG SHUI !!! foi forte e senti-me tãooooo grande e preenchida que senti uma enorme necessidade de sair de casa e andar. De me mexer. Parecia que algo tinha “explodido”.  Senti-me extraordinariamente feliz com a ideia mas havia uma voz que me dizia: “Hammm? Feng Shui? Não percebes nada disso!  E aonde vais aprender? Já leste acerca do assunto e nada! Deixa-te disso! …. “  sai de casa. Cinco minutos depois encontro uma rapariga que conhecia e em conversa “ Nem sabes o que me aconteceu…..”  e contei a experiência que estava a ter.  Resposta dela: “que bom! é mesmo a tua cara e tu gostas de ajudar as pessoas portanto é perfeito para ti! Podes tirar o curso de Feng Shui no IMP , são 3 anos ….. e tenho imensos livros em casa que não me sirvo deles e dou-tos! “
Sei que numa hora ou talvez menos, tive a ideia, a informação de onde ir buscar conhecimento e uma montanha de livros acerca do assunto. E assim embarquei nesta viagem!

Como foste seguindo os passos da formação? O que te fez sentido e o que não? 
Inicialmente, como autodidata. Adquiria todos os livros que encontrava no mercado, estudava-os entusiasticamente e tentava colocar em prática os seus ensinamentos mas tal abordagem revelou-se desastrosa na medida em que, muito honestamente, foi altamente stressante. Havia muitas contradições e sugestões que me deixavam desconfortável…. precisava de ter a casa  tinha recheada de dragões, moedas, espelhos, …. sabe-se lá o que mais? Percebi também que para mim era importante perceber o porquê …. e nada daquilo me fazia sentido, era árido.  Desisti! Passados uns anos e após o episódio relatado, ingressei na Escola Nacional de Feng Shui, na altura ainda nas instalações do IMP – Estudei e formei-me como consultora de Feng Shui clássico. Foi uma viagem fantástica. Aprendi muito e estou muito grata pelos ensinamentos que recebi mas em paralelo, e enquanto aplicava o que ia aprendendo, percebi que não me adiantava de nada colocar uma fonte para a prosperidade se eu me mantinha fechada à mesma, por exemplo. Até que poderiam aparecer oportunidades mas as mesmas não eram aproveitadas.  Esta aprendizagem, aliada  à uma busca incessante de paz interior e sentido, fez com que eu virasse as minhas lentes para uma abordagem mais intuitiva aonde o papel do Homem como agente co-criador da sua própria realidade é o foco e a sua envolvente um espelho e ferramenta poderosa de tomada de consciência e acção no processo de cura.
O que não me fez ou faz sentido?
Gostava muito de poder dizer o contrário, mas não adianta tentar alterar qualquer coisa que seja na nossa vida sem que estejamos inteiramente envolvidos no processo. Estamos a falar do que mais precioso há – a vida de uma pessoa e essa preciosidade e individualidade  tem que estar forçosamente na equação. Digo mais, é a equação! Fazer alterações na nossa casa só porque sim ou porque alguém diz ter uma “cura” maravilhosa de Feng Shui que faz maravilhas não resulta e muitas vezes até produz os efeitos contrários ao pretendido.
De que forma mudou a tua vida?
Tornou-a mágica! O “por acaso” desapareceu do meu vocabulário. Em cada encontro que tenho, em cada acontecimento vivido, em cada fenómeno observado, revejo-me, lei-o-me, questiono-me. Às vezes entendo,  aceito e mudo – ajo. Outras vezes nem por isso!  Olho para a minha casa e “falo” com ela. Sei que processos internos estão à minha espera aguardando a minha acção para que a mudança aconteça e reconheço: ok ainda não decidi isto ou aquilo. Está tudo certo…. ou não e então zango-me! O Feng Shui intuitivo e Simbólico ajudou-me a aceitar a minha humanidade e com isso a aceitar a das outras pessoas. Ajuda-me a perceber as minhas limitações, as minhas fragilidades mas também o meu poder e sim, tenho o poder de mudar. Li isto em tantos livros…. agora experiencio! A minha vida ganhou propósito pois tenho a oportunidade de ajudar outras pessoas a conseguirem o mesmo e sou muito feliz e grata por isso.
Queres partilhar alguma história sobre a aplicação do Feng shui na tua vida? O que resultou, o que não resultou?
Sim.  Há uns anos atrás, li um livro de Feng Shui que falava sobre as imagens e representações que colocamos em casa. Como exemplo, referia fotografias em que as pessoas apareciam com nuvens por cima da cabeça e do peso que estas imagens representam. Dei uma vista de olhos ao meu redor e vi uma foto linda, da minha filha na praia. O céu estava nublado. Não dei importância e como gostava muito da fotografia deixei-a estar.
Uns tempos mais tarde, a mesma informação veio ter comigo. Fiquei curiosa. Coloquei o chapéu de detective e iniciei uma pesquisa atenta às fotografias que tinha em casa. Para minha surpresa, para além da referida fotografia, encontrei outras em que as nuvens no céu marcavam presença. Pelo sim, pelo não, resolvi retirar as imagens! Nesse mesmo dia, quando a fui buscar à escola e pergunto como lhe correra o dia, ela responde-me enquanto movimentava os ombros: “ Bem!!! Muito bem, até! Não percebo o que se passa mas sinto-me muito leve. Parece que tinha um peso em cima e desapareceu”. Fiquei rendida à importância da Simbologia do que temos em casa.
Queres deixar algumas palavras para quem se interesse por Feng Shui?
Força!!! É uma área de estudo fascinante. Procura informação e não te feches a dogmas e verdades absolutas. Independentemente do que te digam e da vertente que escolhas o mais importante é que ressoe contigo, que a sintas e a vivas. O teu caminho e vida são para ser vividos por ti e por mais ninguém, logo usa o que te traz mais paixão e alegria. 
O que tens incorporado na tua prática pessoal e profissional? (desenho emocional da casa, conceito de espaço emocional, simbologia pessoal, ciclos lunares ou femininos…)
O conceito de espaço emocional e simbologia pessoal está presente  sempre, diariamente. E sim, o desenho emocional é brutal na clarificação dos processos individuais pelos quais a pessoa está a passar. Esta prática tem-me revelado informação extraordinária que em muito me tem ajudado e a quem me procura. Claro, como o factor tempo e cósmico está sempre presente e a sua influencia nos nossos processos é significativa, tomo em consideração o ciclo lunar e ás vezes o solar. 

 

ATENÇÃO: todas as encomendas feitas de 27 de Julho a 12 de Agosto só serão enviadas a partir de 16 de Agosto. Obrigada! Ignorar