Foto2-02(Aluna da ENFS)
Aluna dos 3 anos do curso curricular. Actualmente trabalha com a ENFS. Arquitecta, mulher, inteligente, profunda e sensível, tudo óptimas qualidades para um consultor!

Nome: Solange Gomes
Nome do projecto: Macroesfera
Website: www.facebook.com/macroesfera.fengshui
Email: macroesfera.fengshui@gmail.com

O que te fez interessar por Feng Shui?
O Feng Shui surgiu na minha vida de uma forma inesperada, numa fase em que estava determinada a encontrar algo para estimular o meu interior, algo para evoluir enquanto Ser. Foi uma decisão súbita, sem nenhum antecedente. Na verdade, nunca tinha pensado em Feng Shui até ao dia em que, ao pesquisar alternativas, me deparei com esta. Enquadrava-se pela relação com a minha área de formação (arquitectura), mas eu não fazia ideia da dimensão daquilo a que me propunha e da porta que estava a abrir para a minha vida. Na semana seguinte, estava inscrita no curso. E assim começou a caminhada, que continua a transformar-me até aos dias de hoje.

Como foste seguindo os passos da formação?
Comecei pelos 3 anos do Curso Profissional de Feng Shui da Escola Nacional de Feng Shui, o qual completei em 2012. Sinto que essa foi a experiência que precisava para me encontrar. A aprendizagem integrada, tanto do Feng Shui Clássico como do Contemporâneo, permitiu-me posteriormente desenvolver a minha própria abordagem. Continuo até hoje a colaborar com a ENFS e como professora do Curso Profissional de Feng Shui. A minha actividade como consultora tem feito parte deste processo com o meu projecto Macroesfera, tendo no entanto evoluído para um trabalho de autoconhecimento e desenvolvimento individual, realizado directamente com as pessoas através da Leitura Emocional da Casa (da casa actual, da infância, ou de outras) e da Leitura da Casa Espiritual (ou casa dos sonhos). A primeira funciona como ferramenta para identificar bloqueios, medos e padrões emocionais. A segunda permite aceder ao coração, abri-lo, desbloqueá-lo e expandi-lo, através da compreensão do propósito e missão de vida de cada um. O objectivo não é tratar a casa, mas sim tratar a pessoa através da casa, com um acompanhamento continuado dos processos de cura.

O que te faz sentido e o que não?
A minha visão do Feng Shui é muito abrangente e está muito ligada ao Ser e ao Sentir. Cada pessoa tem a sua sensibilidade, o seu Eu, a sua Alma, que devem ser respeitados acima de qualquer teoria. Daí, todas as noções pré-estabelecidas e todas as receitas são questionáveis. O que resulta comigo, pode não resultar com outra pessoa. Cada situação deve ser encarada como única.

De que forma mudou a tua vida?
Descobri uma nova forma de olhar e de sentir tudo o que existe à minha volta, e compreendi que, mais do que ajudar os outros a encontrar o seu caminho, o Feng Shui tem permitido conhecer-me a mim própria, [re]encontrar-me e evoluir. Todas as consultas que faço são reflexos de quem sou, não é por acaso que chegam até mim.

Queres partilhar alguma história sobre a aplicação do Feng shui na tua vida? O que resultou, o que não resultou?
Lembro-me que a minha estante da sala foi durante muito tempo o meu laboratório. Consegui observar e activar áreas da minha vida através dos objectos e livros que escolhi para cada parte da estante.

Queres deixar algumas palavras para quem se interesse por Feng Shui?
É uma viagem ao interior do nosso Ser, muitas vezes através dos outros tão semelhantes a nós e que se cruzam connosco exactamente com esse propósito. Torna-nos mais sensíveis, intuitivos e atentos ao que se passa à nossa volta. Dá-nos uma perspectiva nova e ampla sobre o Universo, sobre tudo o que acontece, sobre o espaço, sobre as emoções, sobre o coração. E é uma ferramenta extraordinária para ajudar tantas pessoas.