KONICA MINOLTA DIGITAL CAMERANome: Regina Almeida
Nome do projecto: Heart and Soul Feng Shui
Página facebook: Heart and Soul Feng Shui
Email: heartandsoulfengshui@gmail.com

O que te fez interessar por Feng Shui?
O meu interesse pelo Feng Shui surgiu há muitos anos atrás, já nem me lembro bem em que ano comecei a comprar livros. Mas antes disso, de começar a colecção de livros, comecei a sentir que deveria fazer algumas mudanças na minha casa, como se, de repente, houvesse um diálogo entre nós duas, uma qualquer comunicação , que me dizia que se o fizesse me iria sentir melhor naquele espaço. Nessa altura era uma conversa ainda muito ao nível do subconsciente.
Com o passar dos anos e depois de devorar muitos livros e sites acerca do tema, de ter mudado a localização das mobílias e peças de decoração da minha casa, muitas vezes às duas da manhã, quando tinha um bocadinho para ler e sentia aquela apelo imediato de ver as coisas a acontecer, comecei a pensar em fazer um curso. A minha vida tinha mudado radicalmente nesse ano, tinha-me divorciado, tinha comprado uma casa nova e fazia todo o sentido aplicar o que tinha aprendido anteriormente e começar de novo. Até porque comecei a ligar as minhas vivências com as casas por onde tinha passado. Tinha já percebido que não há coincidências e que, de alguma forma, havia ali uma interligação. Queria saber mais!
Estava de férias quando encontrei um livro de Feng Shui publicado por um antigo colega de curso, o Alexandre Saldanha da Gama, a trabalhar nesta área e, nesse mesmo dia, decidi fazer uma consulta com ele. Semanas mais tarde, em plena consulta, partilhei com o Alexandre a minha vontade de fazer um curso, falámos um pouco, e foi quando surgiu a Escola Nacional de Feng Shui, onde ele também leccionava. Nem hesitei, mergulhei de cabeça num mundo novo, que viria a transformar completamente a minha vida.

Como foste seguindo os passos da formação? O que te fez sentido e o que não?
Quando me inscrevi no curso de Feng Shui não tinha uma ideia concreta do que iria ser o curso, na realidade. Achei tudo fascinante, pulava da cama cheia de energia a cada novo fim de semana de curso. Mas quando chegámos às aulas de Feng Shui intuitivo, com a Sofia Batalha, aconteceu o chamado “aha moment”! Tudo fez tanto sentido, tive a certeza de que já antes tinha feito aquilo. Foi a Sofia e todas as peripécias qua aconteceram nas aulas, à medida que íamos avançando na análise das casas, que mais me marcaram. Lembro-me particularmente de uma aula em que todas as lâmpadas da sala se fundiram ao mesmo tempo enquanto analisávamos uma casa, e de ter sentido, imediatamente, que havia ali qualquer coisa que não deveria ser revelado, pelo menos não naquele momento. Desde essa altura que se tornou mais consciente a minha/nossa ligação com o Universo e a leitura de tudo, absolutamente tudo, o que acontece.
Hoje em dia, e após terminar o curso na Escola Nacional de Feng Shui, senti que não poderia parar por ali. A área mais clássica dá-nos muita informação acerca da vida da pessoa mas, para mim, a leitura intuitiva é fundamental para construir uma história mais completa e, mais do que isso, para interpretar os acontecimentos da nossa vida, a todo o momento.
Surgiu a oportunidade de aprofundar mais esta esta área e por isso iniciei um novo curso de Feng Shui intuitivo, com a aMar, em regime de retiro, com uma perspectiva mais holística e com uma aplicação mais fácil e direta.

De que forma mudou a tua vida?
O início do curso de Feng Shui foi o ponto de viragem na minha vida e o momento em que houve uma abertura de consciência para tudo o que não se vê mas que está, por ventura, ainda mais presente do que o próprio mundo material.
Nessa altura senti um apelo enorme para desenvolver os meus conhecimentos nestas áreas e lancei-me numa viagem de autoconhecimento que mudou a minha vida a vários níveis. Fiz vários cursos, desde Reiki, Hatmara, Terapia Multidimensional, até ao Tarot, Espagíria, Alquimia, Radiestesia, Quirologia, passando pela Leitura de Aura e, a par disso, fui estudando outras matérias, recordando outras capacidades e desenvolvendo a minha sensibilidade às energias, de forma autodidacta. Senti, nessa altura, que comecei uma nova fase da minha vida!
Os vários Mestres com quem tive a oportunidade de me cruzar ao longo dos vários cursos e na vida, foram essenciais ao meu desenvolvimento, permitindo que fosse descobrindo e aceitando a minha mediunidade e percebendo que a comunicação com “o outro lado do véu”, mais do que uma realidade , é uma bênção que me acompanha no meu dia a dia pessoal e profissional! Sou muito grata a todos eles.
Desde que iniciei este novo ciclo sinto-me mais realizada, mais equilibrada, mais tranquila e com maior disponibilidade para ajudar outras pessoas nos seus caminhos.
Queres partilhar alguma história sobre a aplicação do Feng shui na tua vida? O que resultou, o que não resultou?
A cada consultor chegam situações diferentes consoante a sua experiência de vida(s). Ele pode ajudar porque já passou por aquelas questões anteriormente e já tem, hoje, o conhecimento suficiente para orientar determinada família no sentido de resolvê-las.
Hoje em dia, chegam até mim frequentes situações em que, para além da consulta de Feng Shui, é necessário resolver situações relacionadas com entidades que já partiram mas que estão, de certa forma, “presas” nas casas, por qualquer motivo, e que precisam de ajuda para partir. A comunicação com essas entidades, durante a consulta, em conjunto com a informação recolhida junto dos habitantes da casa, permite que se chegue à raiz da questão e que se possa ajudá-los (uns e outros) a resolvê-la. Há sempre uma ressonância entre o que foi vivido pela entidade que está “presa” e a vida dos atuais habitantes. Só depois desta etapa resolvida podemos fazer uma análise da casa, da vida e das outras questões dos habitantes e aplicar, se necessário, as curas de Feng Shui apropriadas. Analisar uma casa em termos de Feng Shui sem “tratar” este tipo de questões pode revelar-se pouco eficaz pois não estamos a resolver a causa do problema.
Outras vezes, acontece que os habitantes são afectados por energias de acontecimentos anteriormente vividos por outras famílias naquela casa ou, muito antes dela ser construída, ainda no próprio terreno, e que têm que ser limpas para que os novos habitantes deixem de ser afectados por elas e vivam finalmente a sua própria vida. Também nesta situação é importante sintonizarmo-nos com a alma e coração da casa, ouvi-la e perceber a verdadeira raiz do problema para encontrar uma solução em conjunto com a família. E aqui o “Space Clearing” é fundamental para que a matriz energética se desagregue de forma a libertar o que está escondido, para que possamos aceder a toda a informação pertinente para resolver aquelas questões e, devolver ao espaço, o equilíbrio energético necessário ao bem estar dos seus habitantes. Uma análise simples da questão, meramente ao nível do design e das cores ou a aplicação de curas sem ter estes aspetos em atenção não irá certamente ser benéfico para o cliente.
Uma das questões mais importantes relativamente ao Feng Shui é que o consultor não é um decorador e nem pode resolver, só por si, os problemas das pessoas. Ele tem o papel de ajudar a família a chegar à raiz do problema e a resolvê-lo, mas não pode fazer isso sozinho. A Casa é o espelho da vida das pessoas e têm que ser elas a compreender o porquê de estarem em determinada situação e a assumirem a responsabilidade de quererem resolvê-la. Mudanças na casa sem que a verdadeira mudança seja assumida pelas pessoas irão levar a que a tudo se mantenha como estava, a manter bloqueios, acumulação de tralhas nos mesmos sítios, etc.

Queres deixar algumas palavras para quem se interesse por Feng Shui?
Incentivo vivamente a que explorem, procurem mais informação e principalmente que vivenciem as mudanças/ resoluções que uma consulta pode proporcionar nas suas vidas. Se fizer sentido, que procurem uma boa escola que lhes permita desenvolver mais os seus conhecimentos nesta área. Acima de tudo, preparem-se para uma grande mudança na vida!

Das formações da Serpente da Lua® que participaste qual a que te fez mais sentido? Porquê?
Ainda não tive oportunidade de participar nas formações da Serpente da Lua, para além das aulas da Escola Nacional de Feng Shui. Talvez em breve, quem sabe?

O que tens incorporado na tua prática pessoal e profissional? (desenho emocional da casa, conceito de espaço emocional, simbologia pessoal, ciclos lunares ou femininos…)
Nas minhas consultas utilizo vários métodos em conjunto mas sobretudo ouço a minha intuição e construo uma análise adaptada a cada cliente que depois complemento com um seguimento ao longo do tempo, como apoio à implementação das recomendações que proponho. Mesmo quando aplico o Feng Shui clássico, vou sempre procurar mais informação através do desenho emocional da casa para propor uma solução adequada e eficaz.
O Feng Shui intuitivo e a vivência de cada energia do BAGUA, têm-se revelado ferramentas muito importantes na minha vida pessoal e profissional. Têm-me permitido conhecer-me melhor , encontrar as minhas próprias respostas e, assim , ajudar outras pessoas a encontrar as suas.